Busque aqui o conteúdo no blog ou na Web!!!!

Carregando...

SEJA BEM VINDO

SEJA BEM VINDO

sexta-feira, 11 de junho de 2010

A REVOLUÇÃO RUSSA



A RÚSSIA ANTES DE 1917

Em 1894, subiu ao trono russo o czar Nicolau II. Desde o século XVI, o país era uma monarquia absolutista. A nobreza era proprietária de 25% das terras cultiváveis do país, e a grande maioria da população - mais de 80% - estava ligada direta ou indiretamente à terra. As condições de vida da maior parte dos camponeses eram péssimas. Em geral, eles habitavam moradia precária e sem ventilação. Alimentavam-se basicamente de pão preto, batata e torta de farinha de milho. Nas aldeias raramente havia escolas, e a maior parte da população era analfabeta. No plantio e na colheita eram usados instrumentos agrícolas antigos, como o arado de madeira e a foice. Apenas em algumas grandes propriedades adotava-se uma tecnologia moderna, que permitia o aumento da população. Nas cidades, a vida não era muito diferente da do campo. Em 1838, uma investigação feita pelo Conselho Municipal de Moscou, abrangendo milhares de casas dessa cidade, mostrou que grande parte da população vivia em péssimas habitações: "... As escadas que conduzem aos sótãos, onde o povo reside, estão cobertas de toda espécie de imundície. As próprias habitações estão quase cheias de tábuas sujas sobre as quais se estendem colchões de palhas pestilentos, tendo os cantos tomados pela porcaria. O cheiro é desagradável e asfixiante". Com uma economia essencialmente agrária, a Rússia tinha poucas indústrias; a maior parte dela pertencia a proprietários estrangeiros, principalmente franceses, ingleses, alemães e belgas. No começo do século XX, um russo descrevia assim as condições de vida dos operários: "Não nos é possível ser instruídos porque não há escolas, e desde a infância devemos trabalhar além de nossas forças por um salário ínfimo. Quando desde os 9 anos somos obrigados a ir para a fábrica, o que nos espera? Nós nos vendemos ao capitalista por um pedaço de pão preto; guardas nos agridem a socos e cacetadas para nos habituar à dureza do trabalho; nós nos alimentamos mal, nos sufocamos com a poeira e o ar viciado, até dormimos no chão, atormentados pelos vermes..."
UM CLIMA EXPLOSIVO
Os problemas internos da Rússia se agravaram ainda mais após a guerra Russo-Japonesa (1904-1905). A origem do conflito foi a disputa entre os dois países por territórios na China e por áreas de influência no continente. A derrota ante os japoneses mergulhou a Rússia numa grave crise econômica e aumentou o descontentamento de diferentes grupos sociais com o czar Nicolau II. Começaram a ocorrer greves e movimentos reivindicatórios, duramente reprimidos pela polícia czarista. Num domingo de janeiro de 1905, trabalhadores de São Petersburgo, então capital do Império Russo, organizaram uma manifestação para entregar a Nicolau II um documento em que reivindicavam melhores condições de vida e melhores salários. Uma multidão de cerca de 200 mil pessoas, entre elas crianças e mulheres, dirigiu-se ao Palácio de Inverno, residência do czar. As tropas do governo, que estavam de prontidão, receberam os manifestantes com tiros de fuzil. O incidente, que ficou conhecido como Domingo sangrento, provocou conflitos em toda a Rússia. Tentando diminuir as tensões sociais, o czar criou a Duma, espécie de Parlamento. Contudo, os deputados eleitos das quatro primeiras dumas foram de tal maneira pressionados pelo czar que pouco puderam fazer. Esse ambiente contribuiu para a difusão e a aceitação das idéias socialistas - sobretudo as elaboradas pelos alemães Karl Marx e Friedrich Engels - entre os movimentos sociais russos. Assim, essas idéias se tornariam a base da Revolução Russa. Em 1905, surgiram os sovietes de trabalhadores, conselhos que se encarregavam de coordenar o movimento operário nas fábricas. Os sovietes teriam papel decisivo na revolução de 1917.
O INÍCIO DA REVOLUÇÃO Em agosto de 1914 a Rússia entrou na Primeira Guerra Mundial contra a Alemanha e a Áustria-Hungria. Nicolau II acreditava que por meio da guerra pudesse expandir o Império Russo e diminuir a insatisfação popular. No entanto, o fato acentuou o descontentamento e precipitou o processo revolucionário. A guerra agravou a situação econômica e social do país. Os soldados, mal-armados e mal alimentados, foram dizimados em derrotas sucessivas. Em dois anos e meio de guerra, a Rússia perdeu 4 milhões de pessoas. Em 1915, o czar Nicolau II decidiu assumir pessoalmente o comando do Exército, deixando o governo nas mãos de sua esposa, a Imperatriz Alexandra, e de Rasputin, um monge que agia como conselheiro do czar. Em 1917, a escassez de alimentos era muito grande e provocou uma série de greves. Em 27 de fevereiro desse mesmo ano, uma multidão percorreu a capital do Império pedindo pão e o fim da guerra. Os manifestantes também criticavam o sistema monárquico. A polícia e o exército, agora ao lado dos manifestantes, não reprimiram o movimento. Isolado, o czar abdicou, e um governo provisório foi constituído, chefiado pelo príncipe George Lvov. Esse governo, dominado pela burguesia russa, decidiu continuar na guerra, com planos de uma grande ofensiva contra a Áustria-Hungria. A população russa, porém, discordava dessa orientação. O governo, sem controle de seus exércitos, não tinha forças para impedir as deserções dos soldados. Havia ainda a constante elevação dos preços dos gêneros alimentícios, contra a qual o governo nada conseguia fazer. Nesse momento, grupos revolucionários já desenvolviam intensa atividade nas cidades, reativando os sovietes de trabalhadores, com o objetivo explícito de tomar o poder. A ofensiva do novo governou contra a Áustria-Hungria fracassou. Isso agravou ainda mais a situação e provocou uma grande manifestação no dia 17 de julho de 1917, na capital do Império. Era o fim do governo provisório de Lvov, substituído por Alexander Kerenski. Naquele momento, três grupos e três diferentes propostas políticas se defrontavam pelo poder:* O Partido Democrático Constitucional, partido da burguesia e da nobreza liberal, favorável à continuação da guerra e ao adiamento de quaisquer modificações sociais e econômicas.* Os bolcheviques - maioria, em russo -, que defendiam o confisco das grandes propriedades, o controle das indústrias pelos operários e a saída da Rússia da guerra. Graças ao controle cada vez maior que exerciam sobre os sovietes de operários e soldados, sua força crescia continuamente. Seus dois principais líderes eram Vladimir Lenin e Leon Trotski.* Os mencheviques - minoria, em russo -, que, embora contrários à guerra, não admitiam a derrota da Rússia. Divididos internamente e indecisos quanto aos rumos que o país deveria tomar, foram perdendo importância política.
A TOMADA DO PODER
A partir de agosto de 1917, os bolcheviques passaram a dominar os principais sovietes e a preparar a revolução. No soviete Petrogrado, novo nome de São Petersburgo, foi constituído o Comitê Militar para a Realização da Revolução. Sob o comando de Trotski, no dia 25 de outubro, os bolcheviques ocuparam os pontos estratégicos de Petrogrado e o Palácio do Governo. Kerenski, abandonado por suas tropas, foi obrigado a fugir. Na manhã do dia seguinte, os sovietes da Rússia, reunidos em Congresso, confirmavam o triunfo da revolução, confiando o poder a um Conselho de Comissários do Povo. O Conselho era presidido por Lenin. As primeiras medidas do governo revolucionário foram:* retirada da Rússia da guerra;* supressão das grandes propriedades rurais, confiadas agora à direção de comitês agrários;* controle das fábricas pelos trabalhadores;* criação do Exército Vermelho, com a finalidade de defender o socialismo contra inimigos internos e externos.Logo depois, os bolcheviques adotaram o sistema de partido único: Partido Comunista.
A DEFESA DA REVOLUÇÃO: TROTSKI E O EXÉRCITO VERMELHO
Após a tomada do poder pelos revolucionários, a Rússia viveu ainda três anos de guerra civil. Nesse processo, a participação de Leon Trotski, um dos mais importantes líderes da revolução, foi fundamental. Culto e com grandes capacidades de persuasão, Trotski comunicava-se bem tanto com operários e camponeses quanto com uma platéia de intelectuais e diplomatas. Quando irrompeu a guerra civil, a organização das tropas de defesa, o Exército Vermelho, ficou sob sua responsabilidade. Em condições extramamente precárias, com o país esgotado, recém-saído da Primeira Guerra Mundial, Trotski conseguiu formar um exército forte e eficiente. Com o apoio popular, as tropas revolucionárias enfrentaram o Exército Branco, composto por antigos oficiais do czar e prisioneiros do exército austríaco. Além disso, enfrentaram tropas de países europeus, que temiam que a revolução socialista se espalhasse pelo continente.
A CONSOLIDAÇÃO DA REVOLUÇÃO RUSSA
Sob a direção de Lenin e com um plano que ficou conhecido como Nova Política Econômica (NEP), os bolcheviques deram início à recuperação da economia russa. Elaborada em 1921, a NEP procurou concentrar os investimentos nos setores mais importantes da economia. Entre as medidas adotadas encontravam-se:* produção de energias e extração de matérias-primas;* importação de técnica e de máquinas estrangeiras;* organização do comércio e da agricultura em cooperativas;* permissão para a volta da iniciativa privada em diversos setores da economia, como o comércio, a produção agrícola e algumas formas de atividade industrial. Todos os investimentos tinham o rígido controle do Estado, muitos deles eram feitos em empresas estatais. Vários Estados que tinha separado da Rússia durante a revolução - como a Ucrânia - voltaram a se integrar e formaram, em 1922, a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), um Estado federativo composto por quinze repúblicas. Com a morte de Lenin, em 1924, Stalin (secretário-geral do Partido Comunista) e Trotski passaram a disputar o poder. Stalin defendia a idéia de que a União Soviética deveria construir o socialismo em seu país e só depois tentar levá-lo a outros países; Trotski achava que a Revolução Socialista deveria ocorrer em todo o mundo, pois enquanto houvesse países capitalistas, o socialismo não teria condições de sobreviver isolado. Stalin venceu a disputa. Trotski foi expulso da URSS. A União Soviética ingressou, então, na fase do planejamento econômico. Foi a época dos planos qüinqüenais, inaugurada em 1928. Os planos se sucederam a transformaram a União Soviética numa potência industrial. Contudo, a violência foi amplamente empregada pelo governo para impor sua política.

Fonte: Base de Dados do Portal Brasil.

18 comentários:

  1. O que foi a Revolução
    Francesa?

    Foi uma busca do ideal para uma sociedade mais justa,na França teve classes que ficavam armadas com o apoio(liderança)da Burguesia,e que queriam acabar com o Absolutismo e instaurar a República.Mas infelizmente,as classes oprimidas não obteram uma enorme conquista,mas daí eles continuaram levando uma vida sacrificada e com muito trabalho.
    A Burguesia conseguiu conquistar os seus objetivos e obteram um grande desenvolvimento e que eles foram abrindo caminhos para o Capitalismo.

    ResponderExcluir
  2. O q foi a Revolução Francesa?

    A revoluçao francesa foi um verdadeiro marco pra historia mundial e ate hoje influencia nossas vidas.

    A Revolução Francesa significou a arrancada da alta burguesia ao poder que instaurou um novo momento de um novo grupo no poder, grupo esse que naõ tinha poder e prestígio dentro da sociedade, naõ tinha nome e importância. Mas isso só deu por causa da participação das camadas populares, que ao longo da história são utilizadas como marinonetes daqueles querem subir ao poder, na verdade naõ passaram de escadas da burguesia insatisfeita por ter dinheiro e naõ ter prestígio.
    O que se pode observar é que poucas medidas foram para o bem de todos, muito menos liberdade e igualdade. Isso tudo naõ passou de uma revolução burguesa onde os restolhos ficaram para o povo, o povão.

    ResponderExcluir
  3. Resumo da Revolução Russa de 3 a 4 linhas

    Foi uma revolução com duas fases, uma democrática e a outra socialista, para colocar em prática as ideias marxistas, melhorar as condições de vida e acabar com o absolutismo.

    Bruno Pessoa - 191

    ResponderExcluir
  4. Eva Lartigue

    A revolução russa foi a prova de que o poder está nas mãos do povo. Eles tinham os ideais marxistas, tinham os motivos, tinham um comandante e tinham fome. Fizeram justiça! Surgiu o primeiro governo socialista.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Revolução russa em 3 a 4 linhas:

    O povo queria menos miséria, mais igualdade, lutaram por isso!Uma revolução que envolveu dois períodos, uma das intenções era acabar com o absolutismo.

    Beatriz Ambrozino - 191

    ResponderExcluir
  7. O povo tinha medo de um governo capitalista. No capitalismo, nunca favorecem o povo, por isso é capitalista! Eles queriam socialismo, igualdade social. Queriam comida e direitos.

    ResponderExcluir
  8. A Revolução Russa foi um movimento social em que o povo queria uma melhor forma de governo , um governo mais justo , e brigaram por isso . Provaram que não é um líder que faz um país, é o povo !
    -Dereck Ribeiro

    ResponderExcluir
  9. a revoluçao russa significou uma tentavia bem sucedida de diminuir a desigualdade social ultilizando as ideias marxistas, resultou em um conflito armado e muitas mortes.
    Luiz Manoel 191

    ResponderExcluir
  10. A revolução russa teve duas fases, onde ambas se basearam nas idéias marxistas. Os revoltosos tinham fome e queriam igualdade, então lutaram por melhores condições de vida, e implantaram um governo socialista no país.
    -> Raphael Penteado - 191

    ResponderExcluir
  11. a revolução russa foi dividida em duas partes a primeira foi em que os menchevhiques tiraram o czar do poder e a segundo foi uma revolução socialista

    LEO-191

    ResponderExcluir
  12. Antes da Revolução, a Rússia era um país de economia atrasada e dependente da agricultura.
    E com o governo de czar, que era totalmente absolutista, a população estava cada vez mais insatisfeita, pois passava fome e pagava altos impostos.
    Esses e muitos outros motivos levaram a saída de czar do poder, e consolidação do socialismo.
    Anna Luisa Carvalho

    ResponderExcluir
  13. A revolução Russa, foi dividida em dois momentos, foi uma revolução baseada nas idéias marxistas. Marx tinha como principal plano acabar com o capitalismo, e implantar o socialismo na Rússia, para melhorar as péssimas condições de vida do povo.
    Victória Velloso.

    ResponderExcluir
  14. Foi uma revolução baseada nas idéias marxistas, cujo o objetivo era uma melhor condição de vida para o povo. No fim o surgimento da URSS.
    Yves

    ResponderExcluir
  15. A revolução Russa foi uma revolução que beneficiaria todo o país. Tendo um propósito pacífico e depois ficando muito violenta. Essa revolução acabou com o analfabetismo e transformou a Rússia em um país comunista.
    Isabel.

    ResponderExcluir
  16. A Revolução Russa foi dividida em dois momentos. O primeiro foi quando os moncheviques acabaram com o absolutismo do czar, tirando-o do poder. E o segundo foi quando os bolcheviques, insatisfeitos com o novo governo que não cumpriu o que prometeu, tomou o poder e, através das ideias Marxistas, implantou o socialismo.
    Bruna Ribeiro - 191

    ResponderExcluir
  17. A Revolução Russa :
    A Revolução Russa foi uma busca por igualdade de condições. O povo se deu conta de que eram tratados como seres inferiores.Enquanto o czar e uma minoria viviam luxuozamente, a maioria vvia em condições lastimáveis e precárias.
    (GIULIANA BORGATTI)

    ResponderExcluir